8ºDia – Bariloche – Abril 2018

8º Dia / 08 Abril 2018 / Domingo
( Neuquem/ARG)

Aproveitamos e descansamos bem, acordamos tarde sem preocupação de horário.
Tomamos nosso café da manhã sem presa, tranquilos.
Depois passamos na recepção para ver a possibilidade de estender mais uma diária para hoje, caso contrario
teríamos que sair hoje mesmo.
Mas para nossa sorte conseguimos estender nossa reserva no hotel por mais um dia.
Vamos ficar o Domingo aqui em Neuquén para conhecer um pouco da cidade.
Resolvemos deixar o carro na garagem e sair a pé que é bem melhor para se conhecer o lugar.
Como é domingo a cidade também esta mais tranquila, ta certo que deve ter algumas coisas fechadas, mas em compensação é muito mais tranquilo para se passear.

NEUQUÉN – Neuquén (de nehuenken, que significa “rio ventoso” em Mapudungun).
Foi fundada em 12 de setembro de 1904.
É a capital da província de Neuquén na Argentina e é a cidade mais importante da Patagônia.
Neuquén foi construída, como a maioria das outras cidades da Patagônia, em torno da chegada da ferrovia. Por esse motivo, podemos ver a cidade atravessada pelos trilhos de leste a oeste.
A Ruta Nacional 22 divide a cidade em duas metades.
Existe um predomínio da pecuária extensiva de ovinos e caprinos; cultivos agrícolas de irrigação, e recursos turísticos. As plantações florestais, também sujeitas a irrigação artificial, se dedicam à produção de espécies de madeira mole, aptas para a fabricação de caixotes para embalagem de frutas. Tem as maiores jazidas de petróleo e gás da Argentina.

Saímos, e a três quadras do hotel encontramos o ” Parque Central – Paseo Recreativo Cultural”.
PARQUE CENTRAL – É o maior espaço verde de Neuquén. Inaugurado em 1986 nas terras ocupadas pelas instalações da Ferrovia do Sul. O parque se estende da Rua Tierra del Fuego à Rua Manuel Lainez. O Parque é um espaço ideal para a prática de esportes ao ar livre, além de descansar e aproveitar o local.
Dentro da propriedade, existem diferentes edifícios que funcionam nas antigas instalações ferroviárias. Entre eles, encontramos o antigo galpão ferroviário de Ferrocarril del Sud, inaugurado em 1901, reciclado e declarado de interesse provincial em 1986, onde atualmente esta o Museu Gregorio Alvarez. Também no antigo galpão, funciona a Sala de Teatro Alicia Fernández Rego,no antigo galpão de carga onde funciona o Salão Municipal deArte e Exposições Emilio Saracoe e na antiga residência de Colonia Ferroviaria,  está localizado o Museu Paraje Confluencia. Tem também  o Monumento aos Caídos das Malvinas, o Monumento Centenário da cidade de Neuquén, o Monumento à Mãe e também o Museu Nacional de Belas Artes.

MUSEO PARAJE CONFLUENCIA – Situado na antiga colônia ferroviária nº 6, este museu se espalha e recria parte da história social da cidade. Assim, o objetivo é manter viva a história e a memória local, experiências, costumes, instituições, entre outros. Possui 4 salas para esse fim e uma biblioteca com documentos valiosos e bibliografia específica relacionada a assuntos históricos.
O museu “Paraje Confluencia” possui uma Exposição permanente que narra os primeiros 20 anos da cidade (1904-1924), através de fotografias e objetos pertencentes a essa época.
Também possui um modelo, feito por um dos primeiros professores da cidade, mostrando o layout urbano dos primeiros 20 anos da Capital Neuquén.
O Museu oferece exposições temporárias que contam diferentes eventos históricos, relacionados a ex-moradores da cidade, instituições, comércio, vida social, etc.
MONUMENTO AOS CAIDOS NAS MALVINAS – Inaugurado em 26 de setembro de 2006, no âmbito do 102º aniversário da cidade. O monumento é constituído por uma praça, um lembrete das 649 pessoas que morreram na guerra, três mastros com as bandeiras da Argentina, Neuquén e Malvinas e uma cachoeira que simboliza a união.

 

Paseo Central

MONUMENTO CENTENÁRIO DA CIDADE DE NEUQUÉN – constitui uma peça escultórica de grandes proporções, com esferas de várias cores como símbolo da universalidade e integração étnica de Neuquén, apoiadas em uma fita de moebius que representa o “infinito” (alude ao desenvolvimento sem limites da cidade) e termina em uma cortina de água de 5 metros de altura que significa a união dos rios Limay e Neuquén. O monumento fica na Av. Oascoaga  na altura da rua Mitre.

FITA DE MOEBIUS OU MÖBIUSSubir para baixo ou sair para dentro… Isso soa impossível, mas não é , e nem é tão difícil quanto pode parecer. Há 160 anos existe um objeto que desafia as leis da física. A fita de Möbius foi criada pelo matemático e astrônomo alemão August Ferdinand Möbius, em 1858.Sua representação mais comum e conhecida é como um símbolo do infinito.  Fazer uma é muito simples, basta pegar uma tira de papel, girar uma de suas pontas e juntar os dois extremos. Assim, resta uma fita com “apenas um lado”, que é a característica que define a fita de Moebius.

Monumento Centenário

A fome esta batendo, quase hora do almoço.
Vamos tentar ir até o shopping que nos indicou a recepcionista do hotel.
Parece não ser muito longe de onde estamos.

ALTO COMAHUE SHOPPING
Av. Dr. Ramón 355,
www.altocomahue.com.ar/

Não é muito longe, mas olha, foi uma bela pernada.
Demos uma volta e fomos para a praça de alimentação encontrar um lugar para comer.
Escolhemos um tal de Super Quick, um restaurante self service, com bastante variedade de comidas, mas bem diferente dos nossos aqui do Brasil. Você escolhe o que quer comer e o funcionário monta seu prato.
Valeu a pena conhecer, a comida estava boa.
Gastamos AR$ 524,00.

Hora do almoço

Andamos mais um pouco para conhecer as lojas e paramos para um cafezinho no Havanna Café.
Gastamos AR$ 148,00.
Agora o cansaço esta batendo. Hora de voltar para o hotel, pois ainda temos uma longa caminha pela frente.
Chegamos no hotel, tomamos um bom banho e descansamos um pouco.
Como o dia hoje foi puxado, caminhamos muito, estávamos cansados , não estamos a fim de sair.
Perguntamos na recepção sobre algum lugar onde poderíamos pedir comida. O recepcionista nos informou a na esquina do hotel tinha uma casa de massas que fazia deliciosas empanadas só que tínhamos que ir buscar.
Aceitamos a dica e fomos até lá.

ROTISERIA SALLUZA
Rivadavia,416 c/ Mendoza
Centro – Neuquén

Lugar agradável, muito bem montado, boa variedade de comida entre massas, carnes, empanadas, etc…
Funcionários atenciosos e atendimento rápido.
Pedimos algumas empanadas e duas coca-colas.
Gastamos AR$ 275,00.
Voltamos para o hotel, pegamos água (AR$ 150,00) e subimos para jantar.
As empanadas estavam deliciosas. Bem que eu comia mais algumas.
Bem, agora é dormir que amanhã tem mais asfalto pela frente.

RESUMO DO DIA

ALIMENTAÇÃO
AR$ 1097,00

OUTROS
AR$ 280,00

HOSPEDAGEM
AR$ 1570,25

RECOMENDAMOS
ROTISERIA SALUZZO – Centro / Neuquén
HOTEL NEU 354 – Centro / Neuquén

ROTA
Neuquém

000 Km Rodados 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*