7ºDia – Santos / Salta – Abril 2017

7º Dia / 04 Maio 2017 / Quinta-feira
( Dionísio Cerqueira-SC / San Ignacio(Missiones)-ARG )

Vamos lá que hoje é dia de fronteira.
Nosso destino hoje se tudo correr bem pretendemos chegar em Corrientes / Argentina.
Hoje o dia esta melhor, sem chuva e com sol. Esperamos que continue assim.
Primeira parada no banco para tirar algum dim dim.
Agora abastecer.

POSTO DO VALDIR
Rua Paraná nº 300 – Centro
Dionísio Cerqueira/SC

Abastecemos……………….21,7 litros
Preço da Gasolina………….R$ 3,74
Gastamos……………………R$ 81,47
Antes de deixarmos o Brasil e Dionísio Cerqueira, vamos conhecer algumas curiosidades sobre essa cidade.
DIONISIO CERQUEIRA / SC
Localizada estrategicamente no limite do Paraná e do Brasil com a Argentina, Dionísio Cerqueira existe desde meados do século XIX. Em 1903 foi inaugurado o marco das Três Fronteiras, onde se pode colocar um pé no Paraná (Barracão), outro em Santa Catarina e esticar um braço em território argentino. A cidade foi colonizada por italianos e alemães vindos das colônias gaúchas e pertenceu a Chapecó até 1953, quando se tornou município. Seu nome é uma homenagem ao general Dionísio Evangelista de Castro Cerqueira, antigo Ministro das Relações Exteriores e que foi quem demarcou a fronteira entre Brasil e Argentina. Sua População é de mais de 16.000 hab.(Censo de 2017).
Caminhar livremente por três cidades, três estados e dois países em apenas uma rua é o que possibilita o Extremo-Oeste de Santa Catarina em Dionísio Cerqueira. Ao circular pela região, somente quem mora por lá sabe onde realmente está. A dica para os visitantes está nos postes de energia elétrica. Os redondos, vermelhos e verdes são catarinenses, enquanto os quadrados, verdes, azuis e brancos sinalizam a cidade paranaense. Um passo, você deixa o Paraná e está em Santa Catarina. Mais alguns metros e basta ultrapassar um canteiro para estar na Argentina. Para um visitante de primeira viagem, fica até difícil saber quando se está em Barracão, no território paranaense, ou em Dionísio Cerqueira, do lado catarinense. As duas cidades ainda têm como vizinho o município argentino de Bernardo de Irigoyen, formando aquilo que se convencionou chamar de uma segunda “tríplice fronteira” do Paraná, ainda que congregue apenas dois países diferentes. Localizada no extremo Sudoeste do Paraná, Barracão tem na sua geografia uma característica peculiar.  O município faz fronteira seca com a Argentina, tendo como divisor principal um canteiro, que impede a travessia de veículos, mas permite que milhares de pessoas cruzem de um lado para o outro todos os dias. Já a relação com o estado catarinense é ainda mais próxima. Sem uma demarcação visível, muitas de suas ruas se confundem, formando quase que uma única comunidade. Não à toa, a região ganhou o apelido de “cidades trigêmeas”.
Cruzar do Brasil para a Argentina a pé não precisa de autorização ou fiscalização, basta atravessar a rua. No lado argentino, as lojas com produtos alimentícios são as mais procuradas. A travessia com carro, porém, precisa ser feita pela aduana. E é por isso que a todo instante turistas estacionam o carro do lado brasileiro e caminham até a Argentina para comprar vinho, doce de leite, azeite de oliva e outras coisas. Assim como são comuns as histórias de pessoas que moram em uma cidade e trabalham em outra.

MARCO DAS TRÊS FRONTEIRAS
Local de relevância política, cultural e religiosa, onde podem ser encontradas as imagens de Nossa Senhora Aparecida (padroeira do Brasil) e da Virgem de Luján (padroeira da Argentina) – cada uma voltada em direção ao seu país de origem. Brasileiros e argentinos de toda a região participam das missas que são realizadas no local todas as sextas-feiras.

A poucos metros localiza-se o Memorial da Fronteira na Av. Internacional, s/n, Centro.
A Aduana Brasil /Argentina(fronteira) fica no final da Rua Republica Argentina c/Rua Manoel Silva Dicó.
Se não se prestar a tenção é capaz de passar, pois fica no meio da quadra, nem parece uma fronteira.
A Aduana funciona 24 horas.
Na saída do Brasil como sempre, ninguém te pergunta nada de nada. Para falar a verdade nem vimos nenhum policia federal por ali. Depois de percorrermos alguns metros em território Argentino paramos para fazer os tramites migratórios da Argentina. “Passo Internacional Bernardo de Irigoyen – Dionisio Cerqueira”
Feita a verificação da Aduana, documentos do carro, vistoria do carro e seguro Carta Verde nos dirigimos  ao escritório para os tramites de Imigração. Carimbado os passaportes, estamos liberados. Todo o processo de Imigração não demorou mais de 20 minutos. Nesses quatro anos que rodamos pela América do Sul essa foi a Imigração mais tranquila que já fizemos.
Paramos ali mesmo no centrinho, Rua Andrés Guacurarí, para procurarmos onde comprar um chip para o celular.
No final da rua encontramos uma papelaria/Kiosko e entramos pra comprar chip. Optamos por comprar um chip pré pago da Claro, pois escutamos que nessa região da Argentina a Claro tinha uma melhor cobertura que  a própria Movistar que usamos no ano passado quando fomos para Ushuaia.
Pagamos no chip em real R$ 31,00 já com uma carga minima de R$ 10,00 ai resolvemos carregar com mais R$ 15,00. Gastamos um total de R$ 46,00 pelo chip.
Saímos de Bernardo de Irigoyen pela RN.14(A.14).
No primeiro trevo (rotunda) pegamos a primeira saída a direita para a RN.17 sentido Eldorado.
Em Eldorado pegaremos a RN.12

O tempo está bom, esquentou um pouco já deu até para tirar o casaco.
Estamos bem atrasados, bem provável que não chegaremos em Corrientes hoje.
Paramos em Eldorado para um lanchinho.
POSTO PETROVALLE
Av. San Martin, 1905
Eldorado – Misiones – Argentina

Gastamos AR$ 159,00.
Saímos de Eldorado e pegamos a RN.12.

Paramos para abastecer, esticar as pernas, pipi e café.

YPF-PETROVALLE
Ruta Nacional 12 Km.3328
Jardim América – Misiones – Argentina

Abastecemos……………21,35 litros
Preço da Gasolina…….AR$ 18,74
Gastamos………………..AR$ 400,10
Café AR$ 34,00.
E a viagem continua.
Já final de tarde, chegar em Corrientes vai ser impossível. Resolvemos procurar um lugar para pernoitar.
A próxima cidade é Hipólito Yrigoyen vamos continuar.
A próxima é Santo Pipó, uma vila e Gobernador Roca.
Pelo GPS vimos que mais 10 Km e a próxima cidade seria San Ignacio.
Vimos pela internet que tem alguns hotéis, pousadas e hostel.
Resolvemos ficar por aqui mesmo.
Fomos procurar hospedagem e quando estávamos na Rua Alberdi nos deparamos com algo que nos chamou a atenção, uma placa indicando “Ruinas Jesuíticas”. Já lemos algo sobre as Ruinas Jesuíticas mas no Brasil, não sabíamos que tinha na Argentina também. Vamos nos acomodar e depois veremos isso.
Encontramos a duas quadras de onde estávamos, na Rua San Martim uma pousada que nos chamou a atenção.
Resolvemos parar e verificar. Era uma casa/pousada muito bem arrumada.
Fomos recebidos pela proprietária e pedimos para ver as acomodações. Eram chales individuais, muito bem arrumados e limpos um lugar bem agradável e melhor estava vazio e tinha lugar para o carro. Resolvemos ficar ali mesmo.
YVY PYTÃ RESIDENCIAL
San Martin nº 1363(3322)
San Ignacio – Misiones – Argentina 

Diária AR$ 500,00.

Guardamos o carro, descarregamos as malas e como ainda era um pouco cedo resolvemos sair e explorar o local.
A proprietária, que não me recordo o nome, nos deu algumas informações sobre as ruínas e nos indicou uma pizzaria para jantarmos.
Fomos diretos até as ruínas para pegarmos mais informações.

RUÍNAS SAN IGNACIO MINI / MUSEO DE LAS REDUCCIONES JESUÍTICAS / MISIONES JESUITICAS
Alberdi nº 458-477
San Ignácio – Misiones – Argentina

Para nossa sorte ainda estava aberto para visitação.
E vimos também que a noite a partir das 19:00 horas tem um espetáculo de luz e musica com duração de 45 minutos.
Como ainda estava claro resolvemos entrar para conhecer o museu e as ruínas.
Pagamos pelo ingresso para visitação AR$ 150,00 cada um (AR$ 300,00).
Aproveitamos e compramos também os ingressos para o show noturno AR$ 150,00 cada um (AR$ 300,00).
Os ingressos tem validade de 15 dias e você pode visitar as outras ruínas (Nuestra Señora de Loreto, Santa Ana e Santa Maria La Maior) sem pagar mais nada.

RUINAS SAN IGNACIO MINI (REDUÇÕES JESUITICAS)
Declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1984, esse conjunto arquitetônico é um dos mais antigos empreendimentos dos jesuítas na região. Tem as mais bem conservadas ruínas daquele tempo, e pode-se ver com facilidade a estrutura das casas, da igreja, do colégio, do cemitério e das outras dependências.
San Ignácio de Mini é, atualmente, a maior, mais bonita e a mais bem conservada das missões. Outras ruínas das missões jesuíticas guaranis na província argentina de Misiones podem ser visitadas, como as de Nuestra Señora de Loreto, Santa Ana e Santa Maria La Maior.
A missão de San Ignácio Miní foi fundada em 1632 pelos Jesuítas nas Américas durante o período de colonização espanhola. Redescoberta em 1897, San Ignacio Miní ganhou alguma fama após o poeta Leopoldo Lugones fazer uma expedição à área em 1903, mas o trabalho de restauração só se iniciou nos anos 40.
San Ignacio Mini foi construída naquele que se pode chamar o barroco Guarani e pode ser considerado o mais espetacular exemplo das 30 missões construídas pelos jesuítas num território que atualmente compreende a Argentina, Brasil e Paraguai.

A visitação ao parque (ruínas) funciona todos os dias das 07:00h as 19:00 horas.
Reserve para essa visitação pelo menos 2h para caminhar e observar as construções.
O show de imagem e som tem inicio as 20:00 horas.
Vamos ao passeio……

Terminado esse primeiro passeio aproveitamos para ir a um mercadinho que tinha em frente ao parque para comprar alguma coisa que comer e aguentar até a noite.Mercadinho mesmo.

SUPERMERCADO MATTOS
Alberdi nº 506
San Ignacio – Misiones – Argentina

Compramos uns pãezinhos e achocolatado.
Gastamos AR$ 88,67.
Voltamos para a pousada para um banho, lanchinho e descansar um pouco.

A noite as 20:00 horas fomos assistir ao show de luz e musica.
Certas atrações turísticas do mundo costumam fechar as suas portas quando anoitece. Mas em San Ignacio, o pôr do sol ganha outras cores e sons com um dos mais belos espetáculos da região das Missões Jesuíticas: o show ‘Luz e Música’.

É à noite que cada um dos detalhes dessa bela arquitetura de estilo barroco colonial recebe uma iluminação especial que deixa as ruínas  ainda mais impressionantes. Ao som de música sacra, o visitante é convidado a caminhar por imensos paredões e pilares de pedra para conhecer um dos momentos históricos mais impactantes da América do Sul, onde hologramas são projetados em vapor d’água durante todo o percurso e parecem assombrações que contam a historia do local.

Ao termino do espetáculo a saída é feita pela lateral do parque onde se sai em uma pracinha, e por coincidência é nessa pracinha que estava a pizzaria indicada pela proprietária da pousada . Nada mais oportuno.

PIZZARIA LA ALDEA
Rivadavia nº 1250
San Ignacio – Misiones – Argentina

A pizza estava ótima.
Gastamos AR$ 214,00.
Na volta,como não estávamos de carro, voltamos a pé……claro que tinha que ser a pé, notamos que as ruas estavam deserta, em primeiro momento ficamos preocupados, depois lembramos que não estávamos no Brasil e continuamos tranquilos até a pousada.
A noite valeu muito a pena.
Agora é descansar que amanhã tem mais asfalto.

RESUMO DO DIA

COMBUSTÍVEL
R$ 81,47………..21,7 litros
AR$ 400,00….21,35 litros

ALIMENTAÇÃO
R$  495,67

HOSPEDAGEM
R$ 500,00

PASSEIOS
AR$ 600,00

OUTROS
R$ 46,00

RECOMENDAMOS
YVY PYTÃ RESIDENCIAL
– San Ignacio / Misiones / Argentina
PIZZARIA LA ALDEA – San Ignacio / Misiones / Argentina

 

ROTA
RN. 14 / RN.17 / RN.12

 

217 Km Rodados em 06:00h.

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*